Sindguardas/RN atua pela nomeação de concursados e melhorias para os guardas municipais de Extremoz

Nas últimas semanas, o Sindguardas/RN teve grande atuação na cidade de Extremoz, na luta pela nomeação de concursados e também dos pleitos dos guardas municipais, sempre visando uma melhor estrutura para a categoria e uma segurança pública de qualidade para a sociedade.

Ainda em setembro, no dia 23, o Sindguardas/RN se reuniu por videoconferência com os concursados da guarda municipal de Extremoz para traçar estratégias. De acordo com Souza Júnior, presidente do sindicato, a Prefeitura realizou concurso para 40 vagas e só chamou 31.

“A nossa luta é que a Prefeitura nomeie o restante dos concursados, em torno de 60, que passaram em todas as fases e aguardam apenas curso de formação. Inclusive, tínhamos protocolado um ofício solicitando reunião com o prefeito desde o dia 12 de agosto, mas até então não tínhamos obtido resposta. Por isso, nessa reunião do dia 23 de setembro foi deliberado pela realização de um ato público em Extremoz”, informa.

Segundo Souza Júnior, também foi criada uma comissão dos concursados para organizar os encaminhamentos e a articulação do grupo. A comissão, formada por Stanly; Daniell; Etaniel; Ivan e o próprio presidente do sindicato, reuniu-se no dia 25 de setembro para agilizar todos os detalhes do ato que estava agendado para 8 de outubro.

Nesse intervalo de tempo, o Sindguardas/RN conseguiu uma reunião da comissão de concursados com o candidato a prefeito Eduardo Motta (PSDB), no dia 30 de setembro, ocasião na qual apresentou a pauta de compromissos que o sindicato e a categoria espera da futura gestão do município.

Os pontos abordados foram: aprovação e implantação do plano de carreira dos guardas municipais; regulamentação do porte de arma de fogo; estrutura e condições de trabalho para execução da atividade policial dos guardas; conselho, fundo e plano municipais de segurança; e nomeação dos concursados. O candidato se comprometeu em colocar em prática cada um deles.

Já no dia 1º de outubro, a reunião do sindicato foi com os próprios guardas municipais de Extremoz, para um levantamento e discussão sobre a pauta de reivindicações da categoria. Foram abordados tópicos como escala de serviço e carga horária, que tem sido constantemente ultrapassada, de acordo com os servidores, bem como questões de ordem jurídica.

“Nessa reunião, tiramos encaminhamento de o sindicato ver a viabilidade jurídica de lutar por auxílio-alimentação, auxílio-transporte, adicional de risco de vida, haja vista que no edital do concurso da Guarda Municipal constava que a categoria teria direito a outras vantagens. Diante disso, a diretoria se comprometeu em buscar junto ao jurídico essa possibilidade, ressaltando que a implantação de vantagens precisa passar por regulamentação. Mesmo assim, a pauta foi incluída para discussão junto à Prefeitura de Extremoz”, explica.

Souza Júnior complementa informando que no dia 7 de outubro, um dia antes do ato programado dos concursados, o prefeito de Extremoz, Joaz (Patriota), decidiu receber o sindicato e a comissão. A pauta desse encontro foi o ofício que havia sido protocolado no dia 12 de agosto.

“O prefeito se comprometeu em aprovar e implantar o plano de carreira dos guardas de Extremoz, caso seja reeleito, e disse que está dando andamento ao porte de arma, assim como a estruturação e melhores condições de trabalho. Sobre o conselho, fundo e plano municipais de segurança, também assumiu compromisso de colocar em prática. Já em relação aos concursados, ele afirmou que, caso eleito, vai preencher o número de vagas do edital em 2021. Atualmente, a vacância é de 14 vagas. Os demais aprovados, ele se comprometeu em chamar a partir de 2022”, afirma o presidente do Sindguardas/RN.

Ainda durante essa reunião, foi tratado sobre a alimentação dos guardas municipais. O prefeito informou que mandou abrir processo de licitação para fornecer.

“Como exposto, as últimas semanas foram intensas, mas mostraram a importância e a força que o sindicato tem. A pressão da realização de um ato fez a categoria ser recebida pelo prefeito para tratar das pautas e compromissos, o que acabou levando a não execução da mobilização. Vale destacar que é a união e o poder de organização do sindicato junto com sua base que fortalece a luta em prol dos guardas municipais e da própria segurança pública dos municípios, como no caso de Extremoz”, finaliza Souza Júnior.